Drenagem Linfática

Postado em Dermatologia Cosmiátrica by Plástica Montenegro

Por Marina Sartori

Jornalista

A drenagem linfática é um tipo de massagem desenvolvido para auxiliar o funcionamento de nosso sistema linfático. Tal procedimento foi criado pelo fisioterapeuta dinamarquês Edil Vodder, na década de 1930 e começou a ser aplicada em todo o mundo. O método se mostrou de grande importância no tratamento de vários tipos de inchaços (edemas) internos e externos, causados por doenças, acidentes ou cirurgias.

Esta técnica pode ajudar o organismo quando está passando por algum processo infeccioso ou inflamatório, que são situações em que o sistema linfático deve trabalhar em boas condições. Além disso, se a circulação da linfa estiver prejudicada por algum motivo, ela acumulará resíduos, gerando inchaço e impedindo a limpeza adequada do organismo.

Portanto, toda vez que o corpo apresenta edema, a drenagem linfática é uma ótima opção. No pós-operatório de cirurgias plásticas, os traumas podem ser tratados com a drenagem linfática. Um dos casos mais conhecidos de sua aplicação bem sucedida é no pós-operatório de lipoaspirações e abdominoplastia. Nesses casos, também ajuda a evitar o desenvolvimento de fibroses e de irregularidades na pele.

Os movimentos da drenagem linfática auxiliam também a  cicatrização, além de ajudar na diminuição da retenção de líquidos. Portanto, previne e trata pacientes com celulite.

 

 

Neurolinguística

Postado em Sem categoria by Plástica Montenegro

Por Maricy Montenegro

Programação Neurolinguística

A Programação Neurolinguística é baseada na ideia de que corpo e mente formam um sistema integrado.

Segundo a Programação Neurolinguística, tudo o que pensamos afeta o nosso corpo, e o que fazemos com o nosso corpo afeta a nossa mente.

A Programação Neurolinguistica nos oferece várias ferramentas para que possamos desenvolver atitudes congruentes para enfrentar as limitações e obstáculos que nos impedem de atingir nossos objetivos.

Todo pensamento que temos sobre a vida, sobre nós mesmos ou sobre nosso corpo, segundo a Programação Neurolinguistica, funciona como uma profecia realizadora.

O processo de emagrecimento através de técnicas e estratégias da Programação Neurolinguistica é gradual e transformador, pois proporciona o aprendizado de novas habilidades comportamentais úteis e saudáveis.

Com técnicas e estratégias a pessoa pode perceber a diferença entre sensação de fome e vontade de comer. Esse processo de conscientização modifica diretamente a relação com a comida. Pode-se dessa forma emagrecer usando-se a inteligência e o poder de autorregulação do próprio corpo sem precisar de dietas absurdas, pois o processo começa a acontecer naturalmente.

Muita gente acredita que só vai conseguir um corpo saudável com recursos externos, como técnicas cirúrgicas ou regimes rigorosos.

É importante lembrar que a força essencial da vida está dentro de nós e não fora e que possuímos todos os recursos necessários para atingirmos nosso objetivo, bastando apenas aprender a acessá-los.

Cirurgia plástica e cigarro: combinação arriscada

Postado em Cicatrizes by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

 

Os malefícios do cigarro são mais do que conhecidos de todos. Com mais de 4.000 substâncias químicas que causam dano a saúde, o cigarro também é inimigo da boa cicatrização e pode tornar a recuperação de cirurgias plásticas um pouco mais difícil.

Os fumantes possuem um sangue mais “grosso”, resultado das toxinas nocivas do cigarro, comprometendo a circulação. Os vasos sanguíneos ficam mais finos sofrendo vasoconstrição e deixando a circulação ainda mais difícil e complicada e dessa forma dificultam a chegada de nutrientes e proteínas, além do oxigênio, importantes para as áreas que precisam se cicatrizar. Essa má circulação pode causar também a morte de algumas células, o que pode gerar necrose do tecido e facilitar o aparecimento de quelóides nas cicatrizes. A fumaça inalada pelo fumante passivo também é nociva para a cicatrização, pois ela prejudica as células formadoras de colágeno que são fundamentais para o processo cicatrizatório. 

O pós-operatório dos pacientes que fumam também é mais complicado que de pacientes não fumantes. Existe maior possibilidade de infecções e a tendência dos fumantes a tossir mais causa dor e acaba forçando o corte, dificultando a cicatrização e fazendo com que a chance de seus pontos abrirem seja maior.

Se você é fumante e deseja realizar algum procedimento plástico, a recomendação é interromper o cigarro por um mês antes da cirurgia para as células se repararem e tornarem-se mais saudáveis para a recuperação. No entanto, se você vai realizar uma mudança estética para melhorar a auto-estima e bem estar, por que não promover uma transformação de hábitos deixando o cigarro e tornando também seu corpo mais saudável? Afinal de contas, estética e saúde caminham lado a lado na construção da satisfação pessoal. 

 



Cirurgia Plástica | Prótese de Silicone | Lipoaspiração | Clínica de Cirurgia Plástica