Minha motivação me pertence? Reflexões para mulheres!

Postado em Imagem by Plástica Montenegro

Por Marjorie Vicente

Psicóloga de Imagem

 

Não há novidade ao afirmar que o nosso comportamento é influenciado há muito tempo pelos valores sociais atribuídos a comida e ao peso. O que talvez algumas pessoas não saibam é que no Séc. XVI a moda era estar acima do peso. Isto mesmo, você não leu errado: ACIMA do peso. Desta forma, era desejável comer em excesso, ao passo que ser muito magro era sinal de inferioridade social e até mesmo doença.

Exatamente o oposto do descrito acima, o cenário atual atribui a magreza até mesmo ao conceito de “ser chique”, “por dentro da moda” e “uma pessoa de sucesso”. O mais incrível é que após tantos direitos conquistados com coragem e determinação de quem ousou “rasgar sutiãs”, as mulheres do século XXI driblam a jornada dupla, tripla ou até quádrupla de profissionais, mães, amantes e amigas, mas, ainda se curvam diante da ditadura da beleza. As mais feministas poderiam afirmar que se trata de uma ‘armadilha’ muito bem pensada pelo sexo oposto para nos tirar a possibilidade de equivalência no poder.

Estamos na era da tecnologia máxima, não só da informática, mas também dos procedimentos relacionados a tão desejada beleza, e estranhamente, parecemos engatinhar na maturidade das nossas decisões. Uma cirurgia plástica, por exemplo, altera a maneira como você irá se enxergar para sempre (ou até a próxima intervenção, ao menos) e desde sempre. Mas, ainda assim, há quem opte pela mesma como uma decisão súbita e levada por influências externas diversas como família, namorado, amigos e até mesmo por relacionamentos sem qualquer tipo de afeto como o que temos com a Mídia.

Sendo reparadora ou estética, a cirurgia plástica nos traz a possibilidade de nos sentirmos bem diante de algo que nos incomodava, mas requer cuidados como: uma sincera avaliação das próprias motivações, a busca por um profissional de confiança que tenha feito especialização na área, e que possa disponibilizar referências e depoimentos de pacientes, planejamento financeiro e avaliação da clínica ou hospital onde a cirurgia será realizada. Assim, a varinha de condão ainda é realidade apenas para a Cinderela e a sua fada madrinha.  

Um bom profissional irá conduzir o paciente a questionamentos como o grau de insatisfação diante de uma ‘imperfeição´, o grau de alteração física realmente existente e a proposta da cirurgia e resultado. Uma alteração física quando existente, é fato, objetivo e indiscutível, mas, quando o incômodo psicológico é desproporcional a questão física, a intervenção deve ser repensada. 

A Psicologia de Imagem, responsável pela busca do equilíbrio entre a imagem “real”e a “desejada”, é de grande auxílio neste contexto. O profissional desta área irá agir como um parceiro do paciente no pré-operatório trabalhando as suas motivações e expectativas, pesando as mais diversas influências e ajudando-o a tomar uma decisão consciente. No pós-operatório, a atuação é ainda de extrema importância, as sessões com o psicólogo, especializado em Psicologia de Imagem, serão fonte de conforto diante da recuperação que é extremamente particular e nem sempre é rápida, indolor e simples, além do processo de reconhecimento da nova aparência e grau de satisfação diante das expectativas anteriores a intervenção.

Você pode e deve fazer o que estiver ao seu alcance para a sua satisfação pessoal, mas deve agir com a mesma maturidade e consciência das nossas antecessoras que sabiam muito bem aonde queriam chegar!

Esculpindo o rosto com a Lipoaspiração Facial

Postado em nariz by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

A evolução da medicina associada ao descobrimento de novas tecnologias permite que a cirurgia plástica ouse chegar a partes do corpo ultra delicadas, como o rosto, por exemplo. As gordurinhas indesejáveis que acabam se acumulando com o passar do tempo na face agora tem tratamento: lipo facial.

A lipoaspiração facial tem por finalidade alterar a distribuição da gordura e melhorar os contornos da face. São realizadas microlipoaspirações de áreas com maior concentração de gordura e uma redistribuição da mesma nas depressões do rosto, como se fosse uma lipoescultura.

O desenvolvimento de cânulas extremamente pequenas, que alcançam locais distantes, garante que a lipoaspiração facial seja bem sucedida, com índice de risco baixíssimo e cicatrizes imperceptíveis. Com o uso de anestesia local ou geral, a cirurgia dura em média uma hora e a alta é dada ou no mesmo dia ou no dia seguinte.

O pós-operatório da lipoaspiração facial pode ser um pouco dolorido, mas como precaução o cirurgião receita analgésico e antiinflamatório. Para que a cirurgia tenha ainda melhores resultados indica-se a drenagem linfática, que diminui o inchaço e o desconforto no pós. Ela deve ser iniciada mais ou menos no quinto dia após a lipoaspiração facial, com no mínimo de 10 sessões em dias alternados, o que reduz a incidência de fibrose.

É altamente recomendado o uso de protetor solar durante o pós-operatório a fim de proporcionar cicatrizes de alta qualidade. O ultrassom também é indicado para melhorar cicatrização, pois ele acelera a diminuição do inchaço e ondulações eventuais, além de ter uma ação antiinflamatória.

O que é Psicologia de Imagem?

Postado em Imagem by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

 

Com as exigências do mercado e da sociedade cada dia mais rígidas em relação à aparência, as pessoas pouco a pouco passam a perder a referência da imagem ideal e passam a jogar suas expectativas em modelos muito distantes da realidade. A Psicologia de Imagem surge como espelho imparcial do “eu real” e cria caminhos para que seja possível alcançar o desejo do “eu ideal”.

 

O terapeuta trabalha com a compreensão do ser humano lado a lado com os pacientes nesse ajuste entre o real e o ideal. Além de ditar o que é saudável física e mentalmente e praticando em tempo integral a aceitação positiva incondicional, acreditando que quanto mais um sentimento é negado, mais inconsciente ele se torna e mais distorcida será a verdade.

 

Ao longo do processo, o objetivo é que o indivíduo avalie a sua percepção do “eu real” (que nem sempre condiz com a realidade) e se aproxime mais do “eu desejado”, ou que torne o “eu desejado” mais realista e menos idealizado por influências externas como: feedbacks negativos, campanhas publicitárias, ideais de beleza inatingíveis e personalidades.

 

A Psicologia de Imagem é indicada para acompanhamento pós-cirúrgico, trabalhando as expectativas anteriores à cirurgia e o resultado alcançado, além de acompanhar os estágios de recuperação, reconhecimentos, aceitação da nova imagem e manutenção da mesma. Também recomendada para crianças e adolescentes, a terapia ajuda em qualquer tipo de conflito com a auto-imagem (em especial, vítimas de bullying) além de acompanhar os processos de mudanças corporais na adolescência. Atuando em conjunto à equipe multidisciplinar, a Psicologia de Imagem também trata de distúrbios alimentares e trabalha para a recuperação do paciente. 

 

As sessões normalmente acontecem uma vez por semana e duram 50 minutos.

 

Rinoplastia do ponto de vista estético

Postado em nariz by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

 

O nariz está inserido em um contexto de proporções faciais, o seu tamanho deve ser proporcional às dimensões do rosto e as partes nasais devem ser proporcionais ao tamanho desse nariz. Além das relações de proporção e harmonia, devem ser levadas em conta as características raciais do paciente. É importante salientar que não é possível construir um nariz exatamente do jeito que o paciente quer, pois cada pessoa tem uma limitação para que ao final o resultado fique natural.

O cirurgião plástico tem papel fundamental para que esse equilíbrio natural da face seja respeitado. A visão estética do cirurgião está relacionada a 60% do resultado da rinoplastia, enquanto os outros 40% estão ligados a técnica em si. Isso acontece porque se altera toda a estrutura do nariz, então cada modificação deve ser muito bem avaliada.

Além da experiência adquirida ao longo dos anos de atuação como cirurgião plástico, o médico utiliza alguns recursos de estudo realizados em outras áreas da ciência. Um dele é a matemática. Por volta do final do século 12, o matemático Leonardo Pisani, também chamado de Fibonacci, encontrou uma constante matemática que aparece em todas as estruturas da natureza desde animais até plantas e no DNA humano. Todas as medidas têm uma ligação entre si e formam um equilíbrio estético. Essa constante representa a perfeição proporcional, chamada de proporção áurea, e foi usada pelos maiores gênios nas artes e arquitetura.

O médico especialista, que tem conhecimento dessa ferramenta matemática, consegue calcular as dimensões exatas do nariz, para que fique em total acordo com o resto do rosto do paciente. O bom-senso e a sensibilidade do cirurgião também contam e muito para o resultado final satisfatório.

Cirurgia plástica após a redução do estômago

Postado em Cirurgia Plástica,Grandes Emagrecimentos by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde, o número de obesos no mundo vem aumentando em alta velocidade. Nos Estados Unidos, mais de 60% das pessoas estão acima do peso e, entre elas, 30% são diagnosticadas como obesas.

A obesidade é um estado patológico no qual há excesso de gordura no organismo. Para definir os casos da doença, foram criados vários parâmetros, todos respaldados em estudos estatísticos. O índice de massa corpórea é um parâmetro que dá um bom entendimento na situação que se encontra o paciente quanto ao peso, sem sensacionalismo quanto aos riscos que o alto peso possa proporcionar. O índice de massa corpórea é obtido pela divisão do peso, em quilogramas, pelo quadrado da altura em metros. Para combater a obesidade foram desenvolvidas cirurgias para a redução do estômago, muito eficazes apesar de conter riscos.

Após a cirurgia, o paciente apresenta o resultado do estiramento da pele no processo da engorda e é necessária uma intervenção cirúrgica para a retirada dessa pele em excesso. A flacidez da pele chega ao limite máximo e é comum o aparecimento de grandes estrias e celulites. A cirurgia após grandes emagrecimentos engloba praticamente todos os tipos de cirurgia (como abdominoplastia, dermolipectomia, mastopexia, entre outros) e na maioria das vezes requer várias intervenções para a obtenção do resultado final. Em geral são associadas três cirurgias em cada intervenção e os procedimentos são realizados a cada três meses após criteriosa avaliação médica. Além da cirurgia é necessário que o paciente adote novos hábitos alimentares a fim de manter o resultado mais que satisfatório obtido.

Abdominoplastia no combate a estrias

Postado em Abdome by Plástica Montenegro

Por Claudia Ideguchi

Jornalista

 

Pesadelo das mulheres, as estrias se formam quando a pele é excessivamente distendida, ultrapassando a capacidade do organismo de elasticidade. A consequência desse estiramento é a cicatrização do rompimento. Apesar de haver tratamentos para a suavização de cicatrizes, elas não podem ser completamente eliminadas. No entanto, há uma solução para quem possui estrias na parte inferior do abdome e também a pele flácida nessa região: Abdominoplastia.

Indicada normalmente para ex-gestantes, a abdominoplastia (cirurgia plástica do abdome) consiste na retirada de pele e gordura em excesso da barriga, que durante a gravidez sofreu grande distensão. Diferente da lipo, que somente retira a gordura, a abdominoplastia remodela os contornos da barriga e diminui a flacidez, deixando uma aparência mais jovem e de acordo com os padrões de beleza atléticos, porque, além de tudo, corrige o afastamento da musculatura.

A região onde mais aparecem estrias é abaixo do umbigo e, por esse motivo, são as únicas que podem ser completamente eliminadas por meio de cirurgia plástica, pois na abdominoplastia há a retirada de boa parte da pele exatamente desse local, o que faz com que as estrias acabem indo embora com ela. No entanto, as estrias da parte superior do abdome não serão retiradas. A solução para elas é a dermatologia, que possui alguns tratamentos que tornam as estrias muito menos perceptíveis, além de ajudar a pele nas suas funções, evitando que novas estrias se desenvolvam.

Entre as origens mais comuns do aparecimento de estrias estão: fatores genéticos, tempestade hormonal, gravidez, ressecamento da pele, efeito sanfona, entre outras. A melhor alternativa é prevenir-se mantendo hábitos como boa alimentação e frequente hidratação que ajudam no funcionamento da pele e prolongam sua juventude. Cuidar-se é o melhor remédio.



Cirurgia Plástica | Prótese de Silicone | Lipoaspiração | Clínica de Cirurgia Plástica